quinta-feira, abril 15, 2021
Advertisment
Home Mundo Nova York dará 2,1 bilhões de dólares a imigrantes sem documentação

Nova York dará 2,1 bilhões de dólares a imigrantes sem documentação

O estado de Nova York irá oferecer auxílio financeiro de até 15.600 dólares para os imigrantes não documentados afetados pela pandemia do novo coronavírus. O governo destinou cerca de 2,1 bilhões de dólares para um Fundo de Trabalhadores Excluídos e realizará pagamentos únicos aos necessitados. É esperado que o benefício possa ajudar 300 mil pessoas em todo o estado.  

Trabalhadores poderão se candidatar em dois níveis diferentes para ter acesso ao dinheiro. No nível 1, aqueles que conseguirem comprovar que possuem emprego e pagam recursos federais receberão o valor total de 15.600 dólares. Já o nível 2 é destinado para aqueles que não tiverem como comprovar que trabalhavam antes da pandemia, recebendo o total de 3.200 dólares. 

A medida foi aprovada na Câmara de Nova York e faz parte de um grande orçamento de 212 bilhões de dólares que tem como objetivo impulsionar a economia do estado.  

De acordo com o Instituto de Política Fiscal, cerca de 290 mil imigrantes terão acesso ao auxílio, sendo 213 mil só na cidade de Nova York. De acordo com o Pew Research Center, 725 mil imigrantes não documentados vivem em todo o território nova-iorquino.  

Até o momento, imigrantes sem documentação foram deixados de lado em quase todos os programas governamentais de auxílio à população, seja em nível nacional ou estadual. Algumas famílias mistas – aquelas que possuem membros documentados e não documentados – conseguiram receber alguma quantia na terceira leva referente a março.  

Apesar do plano de recuperação de 1,9 trilhão de dólares do presidente Joe Biden, milhares de pessoas só no estado de Nova York foram deixadas de lado. E é justamente nessa parcela da população que o novo coronavírus mais se espalha: um estudo epidemiológico realizado na Califórnia atestou que imigrantes hispânicos com idade entre 20 e 54 anos têm até 11 vezes mais chances de morrerem de Covid-19.  

Organizações defensoras dos imigrantes realizaram uma série de protestos para a obtenção de algum auxílio, incluindo uma greve de fome que durou três semanas. O pedido inicial era de 3,5 bilhões de dólares em auxílio mais a inclusão de pessoas que foram presas recentemente, porém com o avançar das negociações os pedidos foram deixados de lado.  

“Já foram 23 dias de fome e dor. Mas na verdade não foram apenas vinte e três dias. São décadas de dor, indiferença e negligência”, disse Ana Ramirez, trabalhadora sem documentos, a um jornal local.  

No ano passado, o estado da Califórnia já havia criado um plano de ajuda similar, porém em uma escala bem menor. O governo ofereceu 75 milhões em assistência divididos em pagamentos que variaram de 500 a 1000 dólares. Cerca de 7,5% dos imigrantes não documentados no estado foram beneficiados. 

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Popular

Igreja Católica da Austrália paga indenização milionária a vítima de abuso

Um homem de 58 anos cuja identidade não foi revelada vai receber uma indenização de 1,5 milhão de dólares australianos (cerca de 6,5 milhões...

Em meio a tensões envolvendo Ucrânia, Biden propõe cúpula a Putin

Em telefonema nesta terça-feira, 13, o presidente americano, Joe Biden, propôs ao presidente russo, Vladimir Putin, a realização de uma cúpula bilateral nos próximos...

Morre o príncipe Philip, aos 99 anos

Marido da Rainha Elizabeth II, o Príncipe Philip faleceu aos 99 anos nesta sexta-feira, 9. A saúde do monarca, que completaria 100 anos em junho,...

FMI sugere taxar ricos e empresas que lucraram na pandemia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou nesta quarta-feira, 7, sua receita para a recuperação da economia pós-pandemia: aumentar os impostos para os mais ricos...