sexta-feira, fevereiro 26, 2021
Advertisment
Home Mundo Brasileira espera 8 horas na fila para tomar vacina em Dubai

Brasileira espera 8 horas na fila para tomar vacina em Dubai

Depois de uma espera sofrida, alguns brasileiros espalhados pelo mundo estão finalmente recebendo as primeiras doses da vacina contra a Covid-19. É o caso da paulista Alexia Berton, de 23 anos, que recebeu o imunizante em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, nesta terça-feira 15.

A vacina não veio, porém, sem mais um período de espera: Alexia ficou mais de oito horas em uma fila de carros aguardando sua vez de ser imunizada. “Cheguei às 8h da manhã e só fui vacinada por volta das 16h”, conta.

Em Dubai, onde a brasileira mora e trabalha como comissária de bordo há dois anos, as vacinas estão sendo disponibilizadas para a população geral desde sexta-feira 11. Antes disso, os imunizantes foram dedicados exclusivamente aos profissionais da saúde.

A vacina administrada é a Sinopharm, desenvolvida pela empresa farmacêutica do mesmo nome com o Instituto de Produtos Biológicos de Pequim. Os testes comprovaram 86% de eficácia.

Fila de carros para tomar a vacina em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos – 15/12/2020 –Arquivo Pessoal/Arquivo pessoal

Todas as pessoas vacinadas devem tomar duas doses, sendo que a segunda é administrada três semanas após a primeira. “Não tive nenhum medo de me vacinar, pois confio muito nos pesquisadores que passaram dias e noites trabalhando para isso acontecer”, diz Alexia, que é natural de Indaiatuba, em São Paulo. “Se foi disponibilizado para a população é confiável e devemos tomar, sem dúvidas”.

Continua após a publicidade

Para ser vacinado em qualquer um dos sete emirados que compõem os Emirados Árabes Unidos é preciso ser residente e ter mais de 18 anos. Turistas e trabalhadores com vistos temporários ainda não estão recebendo o imunizante.

Antes de tomar a vacina, Alexia passou por uma pequena entrevista e teve sua pressão arterial aferida. “Eles me alertaram que poderia ter efeitos colaterais leves, como febre, dor no corpo e dor de cabeça, mas não estou sentindo nada”, relatou a brasileira mais de 24 horas após ser imunizada.

Apesar de estar próxima de adquirir a imunidade, Alexia ainda precisa usar máscara em locais públicos, conforme dita a lei federal. “Nada mudou nesse sentido, a máscara ainda é obrigatória e as lojas, restaurantes e academias ainda estão com lotação reduzida”.

Os Emirados Árabes Unidos adotaram um lockdown restrito nos primeiros meses de pandemia, mas em maio as restrições foram levantadas. Desde então o país sofreu um aumento de casos entre agosto e setembro, mas as curvas voltaram a se estabilizar. Ao todo, foram registrados 188.545 casos e 626 mortes.

Além dos EAU, Reino Unido, Estados Unidos, Canadá, China e a Rússia já administram a vacina contra a Covid-19.

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Popular

Taiwan identifica variante brasileira da Covid-19 e impõe restrições

A partir da meia-noite da próxima quarta-feira, 24, qualquer pessoa que chegar a Taiwan vinda do Brasil ou que tenha estado no país nos...

China ‘fez pouco’ para investigar origens do coronavírus, diz OMS

Um documento interno da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado nesta terça-feira, 23, pelo jornal britânico The Guardian, declara que autoridades da China ‘fizeram...

Kardashian de Sinaloa: quem é a esposa de ‘El Chapo’ presa nos EUA

Os Estados Unidos prenderam nesta segunda-feira 22 Emma Coronel Aispuro, esposa do traficante mexicano Joaquin ‘El Chapo’ Guzmán. Ela é acusada de envolvimento no...

Facebook diz que voltará a divulgar e compartilhar notícias na Austrália

O embate entre Facebook e o governo australiano sobre a legislação que obriga as empresas de tecnologia a pagar às empresas de mídia por...